15/12/2020

Brasil é o 3º país mais atrativo para investimentos em fonte renovável

  Voltar
Reportagem publicada no Canal Solar 

O Brasil é o 3º país mais atrativo para se investir em implantação de fontes renováveis. É o que apontou o Climatescope 2020 , realizado pela BNEF (BloombergNEF).

Segundo o índice, que avalia as condições de investimento para energia limpa em economias emergentes e a sua capacidade de atrair capital para fontes de energia de baixo carbono, o Brasil é o maior mercado de energia da América Latina.

O Chile ocupa a primeira posição no ranking, sendo considerado o mercado emergente em que mais vale a pena investir no mercado de energia limpa. Segundo a pesquisa, o país atingiu a meta definida de 20% de energia limpa para 2025, e agora tem como objetivo 60% até 2035.

Na segunda posição está a Índia, que se destacou por ter a meta de energia renovável mais ambiciosa do mundo: atingir 175 GW até 2022.

Em quarto lugar está a Jordânia. As instalações de fontes renováveis no país tiveram um crescimento significativo nos últimos cinco anos, com 1,5 GW de fotovoltaica e mais de 500 MW de capacidade eólica instalada.

A quinta posição é ocupada pela China, que continua uma potência no setor de renováveis mesmo com o investimento em energia limpa no país despencando desde 2017 - devido às alterações em políticas econômicas, como as tarifas de incentivo (regime feed-in).

Recorde em 2019

"2019 foi um ano de primeiras vezes - na maior parte, positivas", afirmou Luiza Demôro, a principal autora do Climatescope. "O aumento de capital que vimos fluir para os mercados emergentes sugere que os investidores se tornaram bastante confortáveis com os riscos envolvidos no financiamento de novos projetos de energia eólica ou solar."

No ano passado, o apoio de instituições financeiras de desenvolvimento, incluindo bancos internacionais de desenvolvimento, permaneceu no patamar de aproximadamente 4 bilhões de dólares, mas sua participação no total de IED (investimento estrangeiro direto) em energia limpa caiu para 11%, o menor número em 10 anos.

"O apoio destas instituições financeiras de desenvolvimento, de fato, não estava acompanhando o crescimento do mercado pré-pandemia", esclareceu Ethan Zindler, chefe das Américas da BloombergNEF. "A esperança é que tais instituições aumentem sua participação no próximo ano, à medida que a Covid-19 reduz o pool de capital privado disponível."

Climatescope 2020

O Climatescope, avaliação de mercado da BloombergNEF, representa aproximadamente 60 analistas, que coletaram dados detalhados para 123 indicadores em 108 mercados emergentes. Os resultados completos podem ser encontrados clicando aqui .
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok