05/01/2021

Itaipu viabiliza projeto piloto de energias renováveis

  Voltar
Portal O Regional 

Com recursos financeiros e apoio técnico da margem brasileira de Itaipu, a prefeitura de Maripá implantou no segundo semestre de 2020 o primeiro projeto piloto do município para produção de energia com painéis fotovoltaicos. O investimento de R$ 188,8 mil é resultado da premiação do 2º Concurso de Boas Práticas – Iniciativas para construção da Agenda 2030, promovido dois anos antes pela binacional, em parceria com o Conselho dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, dentro do programa Cidades Sustentáveis.

O sistema foi instalado em um estacionamento da prefeitura, com 16 vagas, 45 metros de comprimento e seis de largura. São 135 placas fotovoltaicas policristalinas, de 400 W, suficientes para atender a 80% do consumo do Paço Municipal. Antes, o prédio gastava em média R$ 5 mil com energia elétrica por mês. A administração prevê o retorno do investimento em aproximadamente quatro anos.

O então prefeito, Anderson Bento Maria, que deixou o cargo em 1º de janeiro, após cumprir dois mandatos consecutivos, aprovou a experiência e defende a expansão do sistema para outros prédios públicos de Maripá. “Isso já foi colocado como proposta pela próxima gestão”, antecipou. “A implantação deste sistema tem se tornado mais barata ao longo dos anos, o que dá condição ao poder público de fazer estes investimentos e levar para os prédios que se possa adaptar em telhados ou mesmo em novas construções.”

Segundo ele, a ideia de apresentar o projeto para a implantação de energia fotovoltaica no município surgiu em diversas missões e viagens técnicas para pesquisar alternativas de energia renovável disponíveis no mercado. A premiação no concurso promovido pela binacional viabilizou o investimento.

“Toda e qualquer parceria com a Itaipu é de extrema importância para os municípios e o apoio a projetos de energias renováveis na região dá condições para que o poder público consiga investir em ações inovadoras como essa, sem faltar com as suas obrigações em atender a população com os serviços nos mais diversos setores”, diz o prefeito.

Ele complementa: “Isso envolve sustentabilidade, o que está diretamente ligada às ações que a Itaipu já executa e apoia em vários municípios por meio dos convênios e, enquanto gestor público, esperamos a continuidade desses projetos, pois beneficiam toda a população”.

O assistente da Diretoria de Coordenação da binacional, Márcio Ferreira Bortolini, disse que o investimento está alinhado à missão empresarial de Itaipu e tem duplo resultado. O primeiro é direto: economia para o município, com geração própria e menor dependência das distribuidoras de energia. “Esse recurso economizado [com a conta de luz] poderá ser investido em outras áreas importantes para o município, de forma sustentável e com benefício à população”, explicou.

Outro benefício é o ambiental, conforme preconiza a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas – particularmente, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 7, que trata de Energia Limpa e Acessível. “Trata-se de um exemplo para os demais municípios que estão inseridos na área de atuação de Itaipu, mostrando que é possível trabalharmos na implantação da Agenda 2030 de forma que cada vez mais a sociedade e os municípios tenham uma gestão sustentável”, conclui.

BOAS PRÁTICAS – localizado no Oeste do Estado, distante quase 200 quilômetros de Foz do Iguaçu, Maripá tem cerca de 5 mil habitantes. O município concorreu no Concurso de Boas Práticas com o projeto “Maripá Vigilante, Prevenindo as Violências e Apoiando a Paz”, desenvolvido pela Secretaria de Saúde, e ficou em primeiro lugar. O concurso envolveu 40 municípios da região com 137 boas práticas inscritas. Maripá foi contemplada com até R$ 200 mil em incentivos via convênio com Itaipu e aplicou o recurso no projeto de energia fotovoltaica.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok