ABSOLAR Inside: Armazenamento de energia – Episódio 1 – A oportunidade está perto ou ainda longe?

25/07/22 | São Paulo

O primeiro episódio do ABSOLAR Inside foi ao ar no dia 18/08/2020. A jornalista Priscila Brandão apresentou o programa ao lado do âncora e Coordenador do GT de Armazenamento da ABSOLAR, Markus Vlasits. Os convidados Rodrigo Sauaia, Presidente Executivo da ABSOLAR; Rodrigo Pedroso, CEO do Grupo Energia; e Jos Theuns, fundador e diretor da ATEPS, falaram sobre o panorama do armazenamento de energia no Brasil e no mundo. A estreia do programa em formato de TV ao vivo teve mais de 2.000 inscrições e abriu as portas para mais oportunidades de formatos revolucionários de informação de qualidade dentro do setor. Confira abaixo o conteúdo técnico de tudo o que aconteceu neste primeiro episódio.

O segmento de armazenamento e a transformação do setor elétrico
No início do programa, Markus Vlasits comentou sobre a capacidade que o armazenamento tem de transformar o setor elétrico. Segundo o âncora do ABSOLAR Inside, o segmento já realizou este efeito em países como Alemanha, Coreia do Sul e China. No Brasil, a Aneel implantou um programa relacionado a armazenamento, que já possibilitou a implementação de pelo menos vinte iniciativas. Vlasits considera a tecnologia estratégica, pois resulta em negócios promissores.

Rodrigo Pedroso comentou sobre a participação do Grupo Energia em um projeto piloto que o governo americano está desenvolvendo no Brasil. Uma tecnologia específica de baterias de fluxo está sendo desenvolvida para o projeto, que visa atendimento de consumidor no horário de ponta, com o carregamento de baterias pela produção de eletricidade em sistemas fotovoltaicos, entregando energia ao cliente em horário de pico. Essa pode ser uma visão de futuro no segmento.

Segundo Rodrigo Sauaia, acreditava-se no passado que a tecnologia fotovoltaica tinha apenas aplicações específicas e viabilidade no futuro. Este equívoco tem se repetido no caso do armazenamento. A versatilidade do armazenamento pode ser vista como um canivete suíço para o setor elétrico, servindo a aplicações de pequeno a grande porte.