Área de associados Trabalhe no setor solar

Brasil registra aumento no consumo de energia elétrica em março

26/04/21 | São Paulo

Volume contabilizado representa crescimento de 6% na comparação com o mesmo período de 2020

O Brasil registrou em março deste ano um volume de 72.834 MW de energia acumulada na carga do SIN (Sistema Interligado Nacional). Trata-se de um crescimento de 6% na comparação com o mesmo período de 2020, segundo dados recém-divulgados pelo boletim mensal da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico).

De acordo com o informativo, o consumo de energia já começa a refletir numa desaceleração do ritmo de recuperação que vinha sendo observado no setor industrial.

As medidas de restrição, tomadas no início do ano passado, para conter o avanço da pandemia, com reflexo negativo sobre o comportamento da carga, contribuiu para a elevação da taxa.

Além disso, no mês passado foram verificados grandes picos de temperatura, superiores as registradas em março de 2020, em quase todo o Brasil, o que fez com que a população acionasse os sistemas de climatização, em níveis considerados acima do ideal para essa época do ano.

Leia mais: CEO da ABSOLAR destaca vantagens da energia fotovoltaica durante verão

O levantamento aponta, contudo, que, em relação a fevereiro, houve uma variação negativa mínima de 0,3% em março no consumo de energia por parte dos brasileiros. Já no acumulado dos últimos 12 meses, a variação também se encontra negativa em 0,1%, em relação a 2020.

O relatório mensal de março da ONS também apresenta os dados consolidados das quatro regiões analisadas pelo boletim. Todas elas apresentaram crescimento percentual de consumo de energia por parte da população na comparação com o mesmo período do ano anterior.

A região Norte, por exemplo, foi a que contabilizou a maior demanda, com 5.831 MW médios, cerca de 7,1% de aumento em relação a março de 2020. Logo em seguida, aparece o subsistema das regiões Sudeste/Centro-Oeste, com 42.512 MW médios, com aumento de 6,7%. Na região Sul, o acréscimo foi de 4,7% e no Nordeste foi de 4,5%, com 13.081 MW e 11.410 MW médios, respectivamente.