Área de associados Trabalhe no setor solar

Com duplo aumento, conta de energia dos cearenses vai pesar no bolso em maio

07/05/21 | São Paulo

Reportagem publicada no Diário do Nordeste

Reajuste anual da Enel e acionamento da bandeira vermelha exercerão pressão dobrada na conta

Consumidores cearenses deverão sentir um baque duplo quando receberem as próximas contas de energia. Dois fatores de peso deixarão a tarifa consideravelmente mais cara: o reajuste anual da Enel Ceará, que passou a valer em 22 de abril, e o acionamento da bandeira tarifária vermelha pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) em maio.

Juntas, estas pressões devem gerar um aumento aproximado de 10,8% para os clientes residenciais, conforme análise do Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia).

Na prática, de acordo com simulação realizada por Hanter Pessoa, diretor de Geração Distribuída do Sindienergia-CE, o impacto deve ser o seguinte:

Uma conta residencial que em abril foi de R$ 100, considerando o consumo de 110 kWh (kilowatt hora), será de aproximadamente R$ 111,70 com o mesmo consumo;

Já uma fatura de R$ 300 em abril, com consumo de 336 kWh, em maio deverá subir para R$ 335, caso o consumo se mantenha.

Este constitui mais um solavanco inflacionário com o qual as famílias terão de lidar, sobretudo em um período de inflação arredia, principalmente em itens essenciais, como a alimentação e os combustíveis e, agora, energia elétrica.

Ademais, para o consumidor, trata-se de um período de desconfiança por conta da incessante crise da pandemia, que lança uma nuvem de dúvidas sobre o horizonte próximo.

ENTENDA O SISTEMA DE BANDEIRAS

Em 2015, a Aneel instituiu o sistema de bandeiras tarifárias como uma forma de compartilhar com os consumidores as condições e custos de geração de energia no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas está favorável, é acionada a bandeira verde e não há custos adicionais, o que deixa a conta mais barata.

No entanto, quando as condições não estão favoráveis, a agência pode acionar as bandeiras, amarela, vermelha em patamares 1 ou 2. Cada uma adiciona uma tarifa na conta de energia na tentativa de sinalizar para o consumidor os cuidados com relação ao consumo.