Área de associados Trabalhe no setor solar

GD solar fecha 1º trimestre com segundo melhor desempenho da história

01/04/21 | São Paulo

Reportagem publicada no Canal Solar

Mesmo na pandemia, setor registrou 504,33 MW de potência instalada e mais de 50 mil sistemas instalados no período

Mesmo diante de um cenário caótico e de incertezas provocadas pela pandemia de coronavírus, a GD (geração distribuída) solar fechou o primeiro trimestre deste ano com o segundo melhor desempenho de sua história.

O setor gerou nos primeiros três meses de 2021 um volume de 504,33 MW de potência instalada e cerca de 50,9 mil placas solares comercializadas.

Trata-se de um desempenho que fica aquém somente do montante registrado em 2020, quando o país teve 676,8 MW de potência e 55,4 mil sistemas fotovoltaicos instalados entre os meses de janeiro e março.

Os dados foram obtidos pela reportagem do Canal Solar junto à ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) na quinta-feira (1º).

Em relação com os demais primeiros trimestres de anos anteriores, o desempenho da GD solar de 2021 é consideravelmente superior.

Em comparação, por exemplo, com o primeiro trimestre de 2019, que registrou 226,11 MW em potência instalada e cerca de 18,4 mil sistemas fotovoltaicos, o aumento foi superior a 100%.

Vale ressaltar que em 2019, a pandemia nem sequer era uma realidade no mundo. No Brasil, o primeiro caso de contágio registrado pelas autoridades ocorreu na reta final de fevereiro do ano seguinte. Já a primeira morte confirmada, foi contabilizada pelo Ministério da Saúde na segunda semana de março, em uma moradora da cidade de São Paulo.

Nos primeiros três meses deste ano, as regiões brasileiras que mais geraram energia solar foram a Sudeste, com 193,25 MW de potência instalada e mais de 22,3 mil sistemas; e a Nordeste, com 103,57 MW de potência e de 8,7 mil sistemas.

Logo em seguida aparecem as regiões Centro Oeste (84,21 MW e mais de 7,1 mil sistemas) e Sul (84,67 MW e aproximadamente 9,3 mil GDs). O Norte do país, por sua vez, foi a regional brasileira com menor geração de energia fotovoltaica, com 38,63 MW de potência instalada e cerca de 3,3 mil unidades comercializadas entre os dias 1º de janeiro e 31 de março.